Eu tenho um bom salário, família estruturada e não entendo por que me sinto deprimido, os projetos que me motivavam perderam total sentido, tenho vontade de fugir, vontade de ir ao banheiro chorar no meio do nada, mesmo rodeado de pessoas no meu ambiente de trabalho me sinto sozinho, para manter minha rotina de trabalho só consigo dopado por remédios ou substâncias psicoativas....

Se uma dessas frases já passou na sua mente por algum momento é possível que você esteja vivendo na usina da tristeza. Estamos vivendo uma nova era, há uma corrente que intitula essa nova era como pós-digital, era extremamente acelerada, que tem contribuído muito para a criação de uma geração angustiada. Ao mesmo tempo em que temos muita liberdade de escolha, temos também muitos medos que levam a uma angústia profunda, isso se agrava se seu ambiente de trabalho se mostra árido e danoso.

No Brasil cerca de 5,8% da população tem depressão, esse número faz do país o líder da América Latina e, até 2020, o transtorno mental será a enfermidade mais incapacitante mundialmente. Mas por que será que ainda temos um número tão reduzido de empresas que dedicam atenção a esse tema¿ Ainda é grande o número de empresas onde o ecossistema de trabalho gera uma carga de ansiedade desequilibrada, clima ruim, cobranças exageradas, processos sem um desenho claro e estressante, sensação de instabilidade e acima de tudo indefinições sobre o futuro, isso tudo devido à falta clareza sobre os próprios valores dos colaboradores e alinhamento de expectativa com a filosofia da empresa.

Como solucionar esse problemas? Eu tenho 3 anos estudando profundamente sobre a liderança servidora e verdadeiramente acredito que uma liderança humanizada será o nosso grande antidoto para esse problema. Os líderes desta nova era precisam ver seus colaboradores além de um número de crachá, reconhecer suas forças individuais e empoderar suas entregas para potencializar a performance do grupo, porém isso só acontecerá quando começarmos a praticar a liderança pelo exemplo, a acolher e ajudar
as pessoas ao nosso redor honrando suas histórias.

Aquele modelo de liderança do século passado que traziam aquela visão de “manda quem pode, obedece quem tem juízo” é mega ultrapassada e danosa, mas infelizmente, acredite, ela ainda existe.

A minha missão e esperança é que cada dia que passa está levantando uma geração cheia de propósito e que tem servido de referência para chefias antigas que ficarão para trás por não saber engajar com essa nova geração. Empresas inteligentes e conectadas com o futuro já entenderam que não olhar para essa dor gera um custo muito alto e pode trazer graves problemas para as corporações, prevenir é melhor do que remediar. Empresas de serviços, por exemplo, já avaliaram suas métricas e entenderam que a baixa produtividade do seu colaborador custa altíssimo, por isso estão subsidiando parte dos pacotes de terapia, disponibilizando processos de coaching em grupo para times multiplicadores, disponibilizando horas dentro da trabalho para que o colaborador invista em autoconhecimento e os resultados têm sido extraordinários.

Meu querido ser de luz se você é líder sua responsabilidade aumenta para reduzir esse número alarmante de pessoas com depressão hoje, eu quero contar com seu apoio para ouvir seu time na essência, reduzir ou quicar eliminar qualquer tipo de julgamento que você ainda possa ter a respeito dessa doença e acima de tudo liderar pelo exemplo. Agora, se você é um dos líderes que se perdeu na jornada e precisa reencontrar com a sua essência, eu terei alegria imensa em te ajudar a equilibrar seu lado monge e seu lado executivo, respeitando sua essência e reconhecendo seus valores.

E ai topa¿, manda um e-mail para: contato@lilianmarinscoach.com.

vamos com tudo e vamos felizes.

Com amor sua Coach

Lilian Marins

 

Usinas da tristeza, você está dentro dela?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat